ROUBO e FURTO, CRIMES CADA VEZ MAIS COMUNS.

É fato consumado que não estamos mais seguros, nem em casa e muito menos nas ruas. Especificamente na região de Americana, a alta em relação aos crimes de furto e roubo é de assustar qualquer cidadão de bem. Segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP), a cidade de Americana, com cerca de 233 mil habitantes, é a segunda no ranking que mais registra furtos e roubos de veículos na Região do Polo Têxtil (RPT) com 356 registros, 40 roubos e 316 furtos – os números registrados são apenas do primeiro semestre do ano de 2018.

Em casos de crimes a domicílio, ainda segundo a SSP, o número de roubos e furtos a condomínios no estado de São Paulo cresceu 56% neste ano de 2018. Foram 1.300 crimes contra prédios registrados entre janeiro e abril deste ano, contra 832 no mesmo período do ano passado.

Os crimes contra a pessoa são aqueles que mais diretamente afetam as vidas e a segurança da população e dessa forma, podem ser destacados dois tipos considerados crimes comuns – aqueles que podem ser realizados por qualquer pessoa (que constituem a maioria dos tipos penais), a saber: Roubos e Furtos.

Mas você já se perguntou qual a diferença entre Roubo e Furto?

As pessoas e profissionais da área de segurança privada muitas vezes desconhecem a diferença entre esses termos e acabam por fazer um uso inadequado ou inadvertido.

Embora parecidos, os termos têm características e definições bem diferentes.

O Código Penal Brasileiro tipifica os crimes de furto e roubo nos artigos 155 e 157, respectivamente.

Segundo o parágrafo 4 do artigo 155 do código penal, o Furto qualificado é descrito como:

I – com destruição ou rompimento de obstáculo à subtração da coisa;

II – com abuso de confiança, ou mediante fraude, escalada ou destreza;

III – com emprego de chave falsa;

IV – mediante concurso de duas ou mais pessoas.

Então o Furto, por ser praticado sem emprego de violência contra a pessoa ou grave ameaça, se diferencia do Roubo. É classificado como um crime comum, pois pode ser praticado por qualquer pessoa e sua finalidade é se apoderar do bem material da vítima.

Já o Roubo, segundo o artigo 157 do código penal é: “Subtrair coisa móvel alheia, para si ou para outrem, mediante grave ameaça ou violência a pessoa, ou depois de havê-la, por qualquer meio, reduzido à impossibilidade de resistência”. O Roubo é semelhante ao Furto, mas é praticado mediante uso de violência, lesões corporais e com graves ameaças.

Na prática do Roubo, além do patrimônio, é atingida a integridade corporal, a saúde, a liberdade e muitas vezes até a vida do indivíduo.

DICAS IMPORTANTES:

Em matéria para o portal G1, o especialista em segurança pública José Elias de Godoy diz existirem três aspectos principais que, se trabalhados, podem diminuir o número de crimes, sendo eles:

  • Segurança física do prédio ou instalação (câmeras, portaria e demais equipamentos de segurança);
  • Conscientização do morador/usuário (seguir o regimento e demais regras quanto ao acesso ao prédio);
  • Investir no treinamento e especialização de funcionários.

Além disso, há certas dicas universais que podem contribuir para evitar ou atenuar os riscos de eventuais práticas criminosas:

  • Seja prudente ao andar de carro ou estacioná-lo. Não fique parado em locais com pouca movimentação de pessoas, não namore dentro do carro e não deixe objetos pessoais à vista dentro do mesmo.
  • Esteja atento ao andar ou caminhar pelas ruas. Mantenha objetos de valor guardados, não esteja ao celular e planeje suas rotas, sejam elas feitas de carro ou a pé.
  • Contrate ou adquira equipamentos modernos de segurança ou de rastreamento de objetos de valor. Essa prática, juntamente com os seguros, pode te ajudar a retomar algum bem que fora subtraído.

A QUEM RECORRER EM CASO DE FURTO OU ROUBO?

No entanto, sabemos que mesmo com todos os devidos cuidados tomados e mesmo com toda a prudência quanto for possível, ainda assim estamos suscetíveis a eventuais ações criminosas e nesses casos, o que fazer quando o prejuízo já está feito?

  1. Busque pelas Autoridades

A primeira medida a ser tomada imediatamente quando algo desse tipo ocorrer, é buscar a Delegacia de Polícia mais próxima de você e registrar uma queixa ou boletim de ocorrência. Para alguns casos, ainda é possível registrar a ocorrência virtualmente, através da Delegacia Eletrônica, disponível apenas em alguns Estados, como SP.

(https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home).

Veja abaixo uma ilustração dos casos em que a denúncia digital pode ser feita:

É recomendável que seja feita a leitura das principais instruções contidas no site da Delegacia Eletrônica do seu estado, uma vez que todo o procedimento é explicado detalhadamente lá. E se ainda assim houver dificuldade para fazê-lo, não deixe de comparar à delegacia mais próxima. Isso é muito importante para a possível recuperação de seus bens, mas também para que as autoridades mapeiem os dados sobre crimes em cada região e assim, possam criar ações estratégicas nas regiões mais perigosas.

  1. Comunique os Órgãos de Proteção ao Crédito

Uma vez feito o B.O., é também importante que o fato ocorrido seja informado aos órgãos de proteção ao crédito, para que se alguém tentar realizar uma operação ou compra envolvendo crédito, os comerciantes sejam informados de que aquele perfil está sob alerta de risco, de fraude ou de bloqueio.

Para essa etapa, você pode recorrer a algum dos telefons ou sites especializados abaixo:

Telefone: 0800-773-7728

Telefone: 0800 011 1522

  1. Bloqueie seus Cartões, Cheques ou Equipamentos de Pagamento Automático

Também é de fundamental importância que você entre em contato com seu banco ou instituição financeira, presencialmente, por telefone ou pela internet, para que seja realizado o bloqueio de qualquer método de pagamento pré-aprovado, a fim de evitar gastos indevidos e de diminuir o prejuízo. Isso também pode evitar futuras dores de cabeça com sua fatura ou com cadastros em sites ilegais, por exemplo.

Para todos os casos, o investimento em segurança tem se tornado cada vez mais parte de nosso dia-a-dia e não pode ser negligenciada sob qualquer hipótese.

Quer investir na sua segurança? Quem confia na WWS está seguro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *